Testes microbiológicos em piscina


Os testes microbiológicos em piscina são feitos com micro-organismos denominados de indicadores e não micro-organismos patogênicos porque:

  • Os micro-organismos patogênicos apresentam acesso esporádico à piscina e têm tempo de vida muito curto. Além disso, sua presença pode ser perdida numa amostra levada para o laboratório.

  • Os micro-organismos patogênicos estão presentes em pequeno número, podendo escapar a um diagnóstico feito em laboratório.

  • Os resultados microbiológicos para os germes patogênicos ficam prontos em mais de 24 horas, o que é muito tempo, pois neste período muitos banhistas já podem ter sofrido a ação nociva dos germes.


Os indicadores microbiológicos são uma importante ferramenta para determinar se a desinfecção da piscina no momento da amostragem estava adequada para matar a maioria dos micro-organismos patogênicos.


A presença de qualquer destes micro-organismos indica uma fraca operação de desinfecção.


Sua ausência, contudo, não garante segurança, pela presença de alguns micro-organismos patogênicos (notadamente vírus e protozoários parasitas), que são mais resistentes ao tratamento do que os micro-organismos indicadores.


Quando os resultados dos testes microbiológicos em piscina são fornecidos, eles representam a qualidade micróbica no momento da amostragem.


Portanto, as condições da água podem mudar desde a tomada da amostra.

Testes microbiológicos em piscina

Um micro-organismo indicador de contaminação da água da piscina deve ter algumas características.


Abaixo mencionamos algumas delas:

  • Deve estar ausente em ambiente não poluído.

  • Numa piscina poluída deve estar em grande número.

  • Não deve multiplicar-se no ambiente.

  • Deve estar presente em maior número do que os micro-organismos patogênicos.

  • Deve responder às condições naturais do ambiente e, nos processos de tratamento da água de maneira similar ao micro-organismo patogênico.

  • Estar simultaneamente com micro-organismos patogênicos.

  • Serem mais resistentes que os micro-organismos patogênicos.

  • Testes de indicadores devem ser de baixo custo, de fácil manipulação, permitindo desta maneira que numerosas amostras possam ser retiradas.

  • Os indicadores devem possuir crescimento e características similares aos patogênicos, isolados, identificados e enumerados.

Testes microbiológicos em piscina - indicadores mais usados:

  • Contagem de bactérias fecais e não fecais

  • Escherichia coli bactéria de origem fecal

  • Pseudomonas aeruginosa bactéria de origem não fecal.


Testes microbiológicos em piscina - valores recomendados como máximos:

Contagem de bactérias

0 cfu / 1 mL de água da amostra

Escherichia coli (E. coli)

< 1cfu / 100 mL de água da amostra

Pseudomonas aeruginosa

< 1cfu / 100 mL de água da amostra


Nota: cfu = Unidade de colôniasformadas

mL = mililitro


Nota : Diferentes normas e leis usam diferentes valores.


Nilson Maierá

Engenheiro químico, consultor especialista, há mais de três décadas, em projetos, qualidade, manutenção e segurança de piscinas.

Autor do livro “Piscinas Litro a Litro”.

Palestrante sobre diversos assuntos relacionados a piscinas de grande porte, utilizadas por público variado.

Contato

Para palestras ou consultorias com Nilson Maierá envie e-mail para nmaiera@terra.com.br ou contate pelos telefones (011) 98965-6197 / (011) 5081-2768



#parquesaquáticos #academias #clubes #hoteis #tratamento #piscinas

Posts em Destaque
Posts Recentes
Arquivos
Pesquisar por Tags
Nenhum tag.

         Nilson Maierá          

Tel:  (11) 98965-6197